Se há uma coisa que todo o mercado corre atrás é da atenção do consumidor. Ok, está certo que é preciso ir atrás de novos clientes, porém, o que muita gente não faz ideia, é que o cliente não compra com base nas nossas convicções, mas nas deles próprios, ou seja, não adianta reinventar a roda: a grande questão é saber como conquistar a mente do cliente, o que significa manipular o que já está lá dentro e realinhar as conexões que já existem.

Também, não é pra menos: diante de tanta informação para todos os lados, é humanamente impossível filtrar tudo que se vê por aí, então, o que acontece? A mente só aceita aquilo que de certa forma coincide com o seu conhecimento ou com a sua experiência anterior. 

Portanto, não precisa perder tempo e nem dinheiro tentando mudar que já está formada. Neste caso, deve-se dançar conforme a música, já que uma vez formada, torna-se muito difícil modificá-la. 

Assim, uma vez que entendemos que são poucas as mensagens que chegam às pessoas, o ponto chave aqui é  nos concentrar nas percepções do cliente em potencial.

Como chegar à mente do seu cliente? 

Se o assunto é saber como conquistar a mente do cliente, estamos falando, claro, de posicionamento. E se tratando de posicionamento, não tem jeito: o caminho mais fácil para se chegar à mente de uma pessoa é ser o primeiro. Afinal de contas, é muito mais fácil lembrar do primeiro que o segundo, não é?

Então, para ocupar a primeira posição, a primeira coisa que você precisa para fixar a sua mensagem, não é a mensagem em si, mas uma mente que não tenha sido nunca tocada por uma outra marca.

O importante aqui é chegar primeiro e não dar oportunidade ao outro de trocar. Anote isso! 

A escada do produto

Para enfrentar a explosão do produto, as pessoas aprenderam a classificar mentalmente produtos e marcas. Vamos imaginar uma escada mental, onde em cada degrau existe o nome de uma marca. E cada escada diferente representa uma categoria diferente de produtos. Algumas escadas têm muitos degraus, outras nem tanto, e outras podem não ter nada.

O importante a dizer aqui é: um concorrente que queira aumentar a sua participação no mercado ou tem de forçar para baixo a marca que está por cima (o que é impossível), ou estabelecer uma relação qualquer entre a sua marca e a posição ocupada pela outra empresa. 

Aqui é muito importante ter uma visão clara sobre o posicionamento do concorrente para que suas ações não se percam focando em coisas que não funcionam. Subir pela escadinha da mente pode ser bem difícil se as marcas de cima estão firmes no lugar, e se não contamos com uma alavancagem à altura ou uma estratégia de posicionamento. 

Uma empresa que queira introduzir uma nova categoria de produtos ou serviços tem que trazer a sua escadinha nova. E isto, também, é difícil, especialmente se a nova categoria não está posicionada em relação a uma velha. 

A mente não tem espaço para o que é diferente e novo, a não ser que exista a possibilidade de relacionamento com o que é habitual e velho.

Leia mais:
Posicionamento de marca para academias: um pequeno guia para não errar
Como criar valor na academia para não baixar o seu preço
Descubra e copie o poderoso segredo das low-costs

Dicas para conquistar a mente do cliente

O cenário que estamos vivendo pede renovação, então aqui vão algumas dicas para te ajudar a conquistar a mente do seu aluno e não dar brecha para a concorrência!

1- Estude seus concorrentes

Qual a melhor maneira de achar seu diferencial senão olhando o que seus concorrentes estão fazendo, não é verdade?

Para ter sucesso em uma sociedade supercomunicativa como a nossa, uma empresa tem de criar uma posição que leve em consideração não apenas os pontos fortes e fracos da empresas, mas também dos concorrentes, por isso, detalhe cada passo do seu concorrente para que seu diferencial seja original e não mais uma cópia com outra roupagem.

2- Tenha estratégia

Como já comentamos neste texto, não precisa ficar quebrando a cabeça tentando reinventar a roda. Não é necessário. O básico funciona aqui, que é justamente pensar em estratégias atingir a primeira posição, e não precisa ser coisa de outro mundo. Pense no seu seu objetivo, faça pesquisas com os clientes, trace metas e meça com base em dados para não cair em armadilhas. 

3- Simplifique sua mensagem

As pessoas não têm tempo para enrolação! É preciso ficar atento a este fato para que sua comunicação não seja chata e se enquadre na famosa “encheção de linguiça” ou “mais do mesmo”.

Com uma mensagem purificada e simplificada, aí sim você consegue penetrar na mente do consumidor em perspectiva. 

4- Olhe para o lugar certo

Como falamos, não precisa ir atrás de coisas mirabolantes. Basta você focar no lugar certo que o resto se torna mais fácil. E onde é esse lugar? O interior da mente do seu cliente em potencial. 

Descubra o quê e como ele pensa e você terá tudo.

Ingridy Scartezzinni
Autor

Publicitária pela PUC-GO (Pontifícia Universidade Católica de Goiás) e Copywriter na empresa Pacto Soluções.


Deixe sua opinião e enriqueça o debate!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.