Você já parou para pensar em como as grandes empresas mantêm a cultura organizacional forte? O que elas fazem? Como elas se tornam o sonho de muitas pessoas trabalharem lá?
Muitos donos  e gestores de academia têm dificuldades para criar uma cultura organizacional, e assim não existem critérios para embasar o desenvolvimento do negócio. Mas afinal, qual o conceito de cultura organizacional?

Segundo Idalberto Chiavenato, cultura organizacional é o “conjunto de hábitos e crenças, estabelecidos através de normas, valores, atitudes e expectativas compartilhadas por todos os membros da organização”. A cultura mostra a maneira como a empresa “pensa”, e isso deve ser transmitido para todos os seus membros, fazendo com que todos falem a mesma língua.

Por que ter uma cultura na academia é importante?

Identidade. A cultura é a identidade do negócio. É através dela que podemos conhecer a fundo uma organização, do contrário, se não se pode compreender sua cultura, todo o resto também não será.

Em tempos de um mercado onde a concorrência é latente, um dos fatores de diferenciação é ambiente interno da academia. Você não vai encontrar a solução fora, ao invés disso, olhe para dentro!

É na rotina, no dia a dia que os colaboradores serão impactados com ela. Aqui estamos lidando com pessoas, com personalidades e costumes diferentes, e apesar de cada um de certa forma moldar a cultura existente, as pessoas de maior influência são as responsáveis por guiar a organização no caminho certo, e apresentar uma visão objetiva de onde a empresa quer chegar.

Neste ponto é importante ressaltar que a liderança e a cultura da empresa andam juntas. E o papel do líder – ou líderes- é mostrar o que é bem aceito e o que deve ser praticado dentro da academia. A academia gosta de inovar? Ou tem um modelo de gestão mais tradicional? Valoriza a busca pelo conhecimento constante da equipe? São abertos a novas ideias?

Leia mais:
5 dicas para melhorar o atendimento da sua academia
Grupo de Risco: como fidelizar os alunos da sua academia
Negócio Academia: como entrar na disputa por preço sem se rebaixar

Você não pode ser copiado!

Produtos e serviços podem ser facilmente copiados por qualquer um, mas uma cultura organizacional bem estabelecida, não. Portanto, fortaleça a cultura da sua academia, o seu DNA, seu posicionamento; certifique-se de que todos seus colaboradores entendem o seu propósito para que assim você construa uma imagem forte e se torne referência no seu mercado.
Lembre-se que essa cultura é o seu maior diferencial competitivo!

7 dicas para consolidar a cultura da academia

Agora que você já entendeu a importância de criar uma cultura na sua academia, separamos 7 dicas para te ajudar a fazer isso da melhor forma. Olha só:

1. Defina os valores fundamentais

O primeiro passo para criar um cultura eficiente é definir quais são os valores fundamentais da empresa. Faça pesquisas e avaliações internas e crie, também, espaços nos quais os funcionários poderão compartilhar suas opiniões sobre o assunto.

Assim, você evita que eles sejam definidos de forma aleatória ou sem um embasamento que não condiz com a realidade do negócio.

Algumas perguntas podem servir como referência para direcioná-lo, por exemplo: “por que sua empresa está fazendo isso?”; “quais são as metas para o futuro?”; “quem é o tipo de pessoa que você procura atrair?”; “qual a sua definição de sucesso?”.

2. Planeje-se!

Uma cultura não é algo que se mude da noite para o dia, e por isso, o planejamento é indispensável para uma implementação de sucesso, visto que algumas mudanças serão indispensáveis.

Depois de levantar todas as informações que você precisa para se orientar, o próximo passo é definir as ações que serão necessárias para atender a todos os valores fundamentais da organização. Desse modo, eleja prioridades e comece pelas ações de maior impacto. Isso ajuda a antecipar os bons resultados e gerar maior engajamento das equipes.

3- Engaje os colaboradores

Você pode reforçar a cultura organizacional sempre que possível ao promover ações que envolvam continuamente seus funcionários. Criar rituais e comemorações especiais pode auxiliar nesse processo.

O que toda essa aproximação e compartilhamento de valores têm em comum é que todos giram em volta da comunicação interna, que deve ser pauta principal de qualquer cultura organizacional.

Promover feedbacks contínuos também é uma forma de demonstrar, de maneira mais próxima, se todos estão seguindo os mesmos valores. Momento também de ouvir e estar aberto a mudanças.

Além disso, é  importante dar atenção também no desenvolvimento profissional.  Saber que o que foi conquistado pelas capacidades já estabelecidas não trará, necessariamente, evolução.

Portanto, investir na capacitação e no desenvolvimento profissional dos colaboradores é o tipo de investimento certo para que a empresa e seus funcionários possam alcançar novos patamares de sucesso.

4. Estude a cultura de outras empresas

Inspirar-se em grandes empresas é sempre bom, certo? Em uma rápida pesquisa na internet você encontra o culture code de empresas como o da Netflix, gigante mundial de serviços de streaming, e o da Rock Content, startup nacional de marketing de conteúdo.

Mesmo que essas empresas não sejam do mesmo setor, a leitura desses exemplos é muito valiosa para que você possa ter um panorama a respeito da valia do documento e entender como essas perspectivas refletem na visão que se tem do negócio.

Faça anotações de pontos que chamem a sua atenção, tanto negativamente quanto positivamente. Além disso, analise o tom, a construção das frases e como cada empresa aborda seus propósitos e valores, por exemplo.

5. Documente e atualize constantemente

Depois de definir os valores e analisar o que está sendo feito por outras empresas, é hora de colocar tudo “no papel”. O mais comum é montar uma apresentação com um bom visual e frases assertivas, que transmitam as ideias com clareza.

É importante ter em mente que, antes de chegar a uma versão final, o texto precisará passar por várias alterações, até ficar de acordo com o pretendido. Nesse momento, é essencial estar aberto a feedbacks para ter novas visões de melhoria.

6- Seja um exemplo

Ser um verdadeiro líder implica em ser um bom exemplo para a equipe. E por que não começar compartilhando e desenvolvendo a cultura organizacional?

A imagem de diretores e gestores é extremamente importante e por isso deve ser bem cuidada.

Nada de “faça o que eu digo, não o que eu faço” no cenário empresarial. Envolver a liderança de cada setor nesse processo de multiplicação da cultura organizacional é fundamental.

7- Faça avaliações constantes

Por fim, entenda que a cultura de uma empresa é algo vivo e mutável. Assim como as pessoas e o mercado estão em constante evolução, as suas relações e a forma como lidam com o mundo passam por transformações. Por isso, é muito importante acompanhá-las, a fim de manter o documento sempre atualizado.

Estabeleça uma revisão periódica e aproveite o momento para realizar novas pesquisas em concorrentes, avaliar o que os colaboradores estão achando das normas e se eles têm alguma sugestão de mudança. Tudo sempre com uma escuta ativa e uma predisposição para alcançar melhorias.

Ingridy Scartezzinni
Autor

Publicitária pela PUC-GO (Pontifícia Universidade Católica de Goiás) e Copywriter na empresa Pacto Soluções.

Opine e enriqueça o debate

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.