É momento de se preparar e estar estruturado para quando tudo se normalizar. Após os órgãos públicos autorizarem a reabertura, todas as academias precisam seguir alguns procedimentos de segurança durante, pelo menos, as 4 primeiras semanas, com o objetivo de reduzir o risco de contaminação do COVID-19 dentro das unidades.

As informações contidas aqui partem do documento da ACAD, que seguem  as orientações de órgãos públicos,  como Organização Mundial da Saúde e o Ministério de Saúde. Também foi tomado como base o histórico de regiões onde o pico da pandemia já passou e o processo de reabertura das academias já está sendo realizado, como na China e outros locais da Europa.

Limpeza geral das unidades:

  1. Disponibilizar recipientes com álcool em gel 70% para uso por clientes e colaboradores em todas as áreas da academia (recepção, musculação, peso livre, salas coletivas, piscina, vestiários, kids room, etc);
  2. Durante o horário de funcionamento da academia, fechar cada área de 1 a 2 vezes ao dia por, pelo menos, 30 minutos, para limpeza geral e desinfecção dos ambientes;
  3. Posicionar kits de limpeza em pontos estratégicos das áreas de musculação e peso livre, contendo toalhas de papel e produto específico de higienização para que os clientes possam usar nos equipamentos de treino, como colchonetes, halteres e máquinas. No mesmo local, deve haver orientação para descarte imediato das toalhas de papel.

Uso obrigatório de equipamento de proteção individual (EPIs) para funcionários, personal trainers e terceirizados:

  •  Máscaras -por recepcionistas, professores, equipe de limpeza, gerentes e terceiros. Devem ser seguidas todas as orientações da Organização Mundial de Saúde para uso desse equipamento.

Medidas operacionais preventivas:

  1. Recomenda-se medir com termômetro do tipo eletrônico à distância a temperatura de todos os entrantes. Caso seja apontada uma temperatura superior a 37.8 °C, recomenda-se não autorizar a entrada da pessoa na academia, incluindo clientes, colaboradores e terceirizados;
  2. Se algum colaborador apresentar febre alta junto com algum outro sintoma de COVID-19, informar imediatamente à gerência local;
  3. No caso do uso de leitor digital para entrada na academia, deve-se disponibilizar um recipiente de álcool em gel a 70% ao lado da catraca. Além disso, o cliente deve ter a opção de acessar à academia comunicando à recepcionista seu número de matrícula ou seu CPF, para que não precise tocar no leitor digital;
  4. Limitar a quantidade de clientes que entram na academia: ocupação simultânea de 1 cliente a cada 4m² (áreas de treino, piscina e vestiário);
  5. Delimitar com fita o espaço em que cada cliente deve se exercitar nas áreas de peso livre e nas salas de atividades coletivas. Cada cliente deve ficar a 1,5 metros de distância do outro;
  6. Utilizar apenas 50% dos aparelhos de cardio, ou seja, deixar o espaçamento de um equipamento sem uso para o outro. Fazer o mesmo com os armários;
  7. Liberar a saída de água no bebedouro somente para uso de garrafas próprias;
  8. Realizar o congelamento dos planos de clientes acima de 60 anos de idade, quando solicitado;
  9. Renovar todo o ar do ambiente, de acordo com a exigência da legislação (pelo menos, 7 vezes por hora), e fazer a troca dos filtros de ar, no mínimo 1 vez por mês, usando pastilhas adequadas para higienização nas bandejas do aparelho;
  10. Comunicar para os clientes trazerem as suas próprias toalhas para ajudar na manutenção da higiene dos equipamentos;
  11. Expor aos clientes todos os manuais de orientação que possam ajudar a combater a contaminação do COVID-19;
  12.  Capacitar todos os colaboradores em como orientar os clientes sobre as medidas de prevenção.

Leia mais:
Coronavírus: 5 dicas para superar a crise na sua academia
Coronavírus: Legislação e Direitos Trabalhistas – Consequências no Mercado Fitness
Como o Coronavírus impacta o Mercado Fitness
10 estratégias utilizadas por grandes redes para aumentar as vendas

Recomendações para piscina:

  1. Disponibilizar, próximo à entrada da piscina, recipiente de álcool em gel 70% para que os clientes usem antes de tocar na escada ou nas bordas da piscina;
  2. Exigir o uso de chinelos no ambiente de práticas aquáticas;
  3. Disponibilizar, na área da piscina, suportes para que cada cliente possa pendurar sua toalha de forma individual;
  4. Após o término de cada aula, higienizar as escadas, balizas e bordas da piscina.

Comunicação com funcionários, personal trainers e terceirizados:

Eles devem receber as devidas orientações sobre:

  • Utilização dos EPIs para o trabalho;
  • Limpeza das mãos com água e sabão como lavá-las e com qual frequência). O mesmo vale para higienização com álcool em gel;
  •  Utilização do termômetro.

Comunicação com clientes:

Divulgar os comunicados com orientações para clientes sobre:

  1. Higienização das mãos com água e sabão e/ou álcool em gel a 70% (como e com qual frequência);
  2. Uso de garrafa de água individual;
  3. Uso de toalha individual;
  4. Restrição de que não será autorizada a entrada de clientes nem funcionários e terceirizados com temperatura acima de 37.8°C;
  5. Gráfico com a frequência diária por horário;
  6. Recomendação para que os clientes evitem horários de pico e se programem para treinar em horários alternativos.

Veja os Guias disponibilizados pela ACAD-BR (Associação Brasileira de Academias) e pelo CREF-4 SP:

Ingridy Scartezzinni
Autor

Publicitária pela PUC-GO (Pontifícia Universidade Católica de Goiás) e Copywriter na empresa Pacto Soluções.


2 Comentários

Deixe sua opinião e enriqueça o debate!

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.